nutricionista lisboa

Gestão de peso na gravidez

Setembro

Bem vindo Setembro! Mês de recomeços e renovação. 

O 9ºmês do ano será para o Diário de uma Dietista “o mês da Grávida”!

Anualmente, a 9 de Setembro celebra-se o dia Nacional da Natalidade ou Dia da Grávida. Esta data foi escolhida em alusão aos 9 meses de gravidez, com o intuito de celebrar a Natalidade num dos países com mais idosos da Europa.

Ao longo de todo o mês iremos abordar temas de enorme interesse e pouco falados como a influência da microbiota na saúde fetal e as consequências da exposição in-útero a contaminantes… Bem como destacaremos nutrientes-chave determinantes do desenvolvimento e saúde futura do feto, como o DHA.

Se pensa engravidar ou está gestante não pode perder este mês de publicações, porque estar grávida é uma benção mas também uma enorme responsabilidade!

Gravidez: muito mais do que uma questão de peso

Quando se fala em saúde na gravidez, a gestão do peso parece ser a preocupação principal para a maioria das gestantes. Contudo, o peso esconde uma série de implicações e riscos que a maioria desconhece.

Vamos, no artigo de hoje, conhecer os riscos de um aumento do peso desadequado!

Fonte: Manual Alimentação e Nutrição na Gravidez, Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, Direção-Geral da Saúde, 2021

Gerar um bebé implica a formação de placenta, o aumento do volume de útero, de sangue, tecido mamário e líquido amniótico, que se traduz, naturalmente, no aumento de peso da grávida. Para além destes, também é expectável que ocorra um aumento do tecido adiposo, no entanto, este deve ser monitorizado e controlado uma vez que um correto aumento do peso na gravidez é um dos principais preditores da saúde do bebé e da mãe. Na figura anterior, conseguimos perceber os intervalos de ganho de peso na gestação considerados adequados e saudáveis, sendo que dependem do peso pré-gravidez da mulher:

  • No 1º trimestre, não há um desenvolvimento muito exuberante do feto, pelo que a manutenção do peso pré-gestacional é adequada, até um máximo de ganho de 2kg.
  • Nos segundo e terceiro trimestres ocorre a maioria do desenvolvimento fetal, pelo que a demanda energética também aumenta e, consequentemente, o peso da grávida. 

A monitorização do ganho de peso gestacional é indispensável isto porque o excesso de ganho de peso pode acarretar consequências tanto para a mãe, como para o bebé:

  • Para a mãe:
    • Alterações circulatórias, diabetes, pré-eclâmpsia, complicações durante o parto, etc
  • Para o feto:
    • Alterações respiratórias (asma) e neurológicas (autismo, défice de atenção),  risco futuro de doenças metabólicas (diabetes e obesidade) e autoimunes.

O peso da mulher na preconceção é, igualmente, determinante para o sucesso da gestação e para bons indicadores de saúde no bebé uma vez que pode afetar o seu perfil metabólico dos bebés, através de alterações epigenéticas que poderão comprometer a sua saúde de forma transitória ou definitiva. Estas alterações metabólicas podem compreender:

  • Elevada produção de glicose pelo fígado e resistência à insulina no músculo;
  • Alterações nas hormonas reguladoras da fome e saciedade;
  • Função renal anormal, hipertensão e hipertrigliceridemia.

Para além das consequências para o futuro bebé, também poderão surgir complicações durante a gravidez e nascimento, nomeadamente:

  • Hipertensão, pré-eclâmpsia e diabetes gestacional;
  • Défices de micronutrientes, particularmente, ferro, folato, iodo, zinco e vitaminas A, β-caroteno, B12, C e D;
  • Hemorragia pós-parto e parto pré-termo (<33 semanas);
  • Macrossomia (bebé com excesso de peso ao nascimento).

Adicionalmente, devemos estar atentos a um ganho de peso súbito uma vez que pode estar relacionado com edema e, consequentemente, com uma possibilidade de ocorrer pré-eclâmpsia, uma condição que está relacionada com o aumento da pressão arterial e que pode trazer consequências graves para a gestante e para o feto.

Como controlar o peso durante a gestação?

Apesar do excesso de peso preconceção e/ou do ganho de peso durante a gestação ser um fator de risco, advertimos que qualquer dieta com restrição energética e/ou com exclusão de algum grupo alimentar, sem acompanhamento de um profissional, é contraindicada durante a gravidez. Neste sentido o planeamento atempado da gestação e o acompanhamento médico e nutricional é indispensável para que logo a conceção se dê nas melhores condições de saúde e estado nutricional. Por outro lado, há que ressalvar que um ganho insuficiente de peso está associado a um atraso do crescimento intrauterino e a mortalidade perinatal.

Assim, a adoção de uma alimentação variada, equilibrada e completa, adequada ao estado nutricional materno, é decisiva!  

Algumas indicações básicas que poderá seguir são:

  • Faça refeições regularmente e lanches intermédios;
  • Privilegie a água como a sua bebida de eleição;
  • Tenter comer uma grande variedade de hortícolas e fruta diferentes, a cada refeição;
  • Não use excessivamente gordura de adição aos seus cozinhados e escolha sempre azeite virgem-extra;
  • Reduza ao máximo o açúcar de adição, assim como alimentos processados (produtos de pastelaria, batatas fritas, etc.);
  • Escolha pratos cozidos, grelhados e assados com pouca gordura em vez de fritos;
  • Opte por cereais integrais, com maior quantidade de fibra;
  • Inclua leguminosas no seu dia-a-dia alimentar.

Poderá acompanhar no Blog os artigos da gravidez mês-a-mês!

Não hesite em pedir ajuda de um Nutricionista quer esteja grávida ou a planear a conceção! Vale a pena dar ao seu bebé “a melhor casa” para se desenvolver!