Gravidez – mês 6
14 Agosto, 2017
O que deve ter na despensa
29 Agosto, 2017
Mostrar tudo

Gravidez – mês 7

Como vai cara leitora?

Estamos de volta para escrever sobre gravidez. Já vamos no 7º mês! Não leu os anteriores? aqui ficam:

O mês 7 vai da semana 27 até à 30ª e marca o início do 3º trimestre! Sim já, o último! Este é conhecido pelos desconfortos associados ao aumento do peso e à diminuição do espaço no abdómen (e é mesmo assim…).

 

Semanas 27 e 28

Em termos de desenvolvimento o bebé deverá atingir cerca de 1kg nestas semanas e 34 a 37cm. Os olhos estarão parcialmente abertos e podem piscar, apesar da cor ser indefinida até cerca dos 9 meses. Todos os órgãos estão em maturação, principalmente o cérebro!

O seu médico iniciará o controlo da espessura do colo do útero e do líquido amniótico, através de ecografia. Estas medidas são essenciais a partir de agora para perceber se tem risco de parto prematuro. Por exemplo, demasiado líquido poderá pressionar o colo a abrir mais cedo e desencadear o parto, assim como pouco líquido poderá ser um sinal de que algo não está bem com o bebé ou com a placenta.

Normalmente estas alterações tratam-se com repouso e alguma medicação. É importante que esteja atenta. Um dos sinais mais comuns que aparece nesta fase são as contrações de treino ou de Braxton-Hicks (podem aparecer mais cedo).

Contrações de Braxton-Hicks: como reconhecê-las

Durante a gravidez é normal sentir contrações sem que isso signifique o início do trabalho de parto. Mas se está na sua primeira gravidez é natural que se sinta um pouco preocupada com esse tipo de contrações, pois pode ser  difícil distingui-las das contrações típicas. A maior diferença é que as contrações de treino não são dolorosas!

O que é uma contração?

Uma contração é um aperto dos tecidos do útero, seguido de um relaxamento. Pode detetá-las colocando as pontas dos dedos sobre o abdómen. Habitualmente sentirá uma pressão, a pele a “repuxar” e uma mudança na forma da barriga.

O que provoca as contrações de Braxton-Hicks?

Alguns especialistas sugerem que as contrações de Braxton-Hicks são uma forma de tonificar os músculos do útero e mantê-los em forma para o parto, portanto um treino!

Esse tipo de contrações pode ser sentido desde as 6 semanas de gravidez, mas o mais frequente será surgirem apenas a partir das 16 semanas.

Contrações de Braxton-Hicks vs Contrações do parto

Ao contrário das contrações típicas do trabalho de parto, as contrações de Braxton-Hicks não costumam ser dolorosas, duram menos tempo e não acontecem em intervalos regulares. Para distingui-las poderá seguir essa tabela:

Contrações de Braxton-Hicks Contrações do parto
Têm uma duração curta normalmente curta (cerca de 30 segundos) embora possam em alguns casos durar um pouco mais. Têm uma duração superior (entre 30 e 90 segundos)
A sua duração não aumenta A duração aumenta ao longo do tempo
São geralmente irregulares São regulares
O intervalo entre contrações não diminui com o passar do tempo As contrações são cada vez menos espaçadas entre si
São geralmente pouco dolorosas São dolorosas
Tendem a parar quando muda de posição Continuam, independentemente do que você faça para tentar aliviá-las
São leves São intensas
Não aumentam de intensidade Aumentam de intensidade com o passar do tempo
São sentidas na frente do abdómen e pélvis Irradiam do fundo das costas para a frente do abdómen

Em resumo

As contrações de Braxton-Hicks servem para tonificar o tecido muscular uterino e não são motivo para preocupação. No entanto, é preciso saber distingui-las das contrações do parto, pelo que em caso de dúvida deve sempre contactar o seu médico ou então dirigir-se ao hospital. Se estas contrações aumentarem de frequência pode ser sinal de que algo não está bem, por exemplo que tem défice de magnésio, está a ingerir pouca água, que tem excesso de líquido amniótico, ou que está a fazer movimentos/esforços que não são adequados a esta fase da gravidez. Esteja atenta.

 

Semana 29 e 30

O seu bebé estará com pouco mais de 1kg, mas os seus movimentos são cada vez mais definidos e fortes! Irá senti-lo a virar, a pontapear, a espreguiçar-se! Se pensa fazer uma ecografia 3D/4D esta é a fase ideal, já que o seu bebé é em tudo semelhante a um recém nascido, sendo apenas mais pequeno e mais magro. Estas ecografias permitem ver em tempo real os movimentos do seu “mais-que-tudo”, assim como distinguir as suas feições.

Gravidez 30 semanas

É também por esta fase que deverá fazer a vacina contra a tosse convulsa, acrescentada ao plano nacional de vacinação desde finais de 2016, pela Direção Geral de Saúde.  Trata-se de uma vacina combinada contra a tosse convulsa, o tétano e a difteria e deve ser feita entre as 20 e as 36 semanas de gestação, idealmente até às 32 semanas. Após a vacinação, a mãe produz anticorpos e passa-os para o bebé através da placenta, conferindo-lhe proteção passiva até ao início da vacinação, aos 2 meses de idade. A vacina é comprovadamente segura e sem riscos para a grávida e para o bebé.

 

Quanto ao curso de preparação para o parto, esta é também a fase ideal para o fazer, já que está “mais grávida que nunca”, mas ainda se sente ágil e motivada para aprender 😉  Mesmo que não seja a sua primeira gravidez, é importante que o faça, pois as normas e boas práticas estão constantemente a evoluir e esta é a forma ideal para aprender. Habitualmente são lecionados por enfermeiras especialista em saúde materna e obstetrícia, que não só a irão tranquilizar acerca de muitos assuntos, como lhe irão transmitir estratégias simples como massajar o seu bebé, como ser massajada durante o trabalho de parto, quais os cuidados de higiene que deve ter, com que frequência, que “cadeirinha” escolher, entre muitos outros temas.

Pode optar por fazê-lo no seu centro de saúde (gratuito) ou a nível particular. Pessoalmente foi-me recomendado por uma amiga o Centro Pré e Pós Parto de Entrecampos, que disponibiliza além do curso, uma série de workshops e recursos de apoio antes e após o parto. Mais do que uma aprendizagem, foi muito tranquilizador, permitiu-me “descomplicar”, sistematizar, organizar prioridades e encarar tudo neste percurso como natural. Se antes me questionava e temia “quantos cremes?” “quando lavar?”, “deitar com ou sem almofada?”, “quando ir para o hospital?”, agora sinto-me tranquila acerca destes assuntos. Afinal informação é poder!

 

Sintomas:

Nesta fase os sintomas da gravidez são decorrentes do crescimento do feto:

  • Micção frequente diurna e noturna
  • Inchaço nos membros inferiores/ má circulação
  • Prisão de ventre
  • Digestão mais lenta e alguma azia
  • Cansaço
  • Dor nas costas

Enfim nada que não possa tolerar pelo seu bebé!

No 3º trimestre o aumento do peso materno deve ser mais visível, considerando-se adequado entre 200 a 500g/semana, dependendo do peso anterior à gravidez:

Aumento desejável do peso na gravidez, de acordo com o peso inicial

Quanto à alimentação, é normal que o seu estômago não tolere tanta quantidade de comida como antes, pois está cada vez mais comprimido pelo útero. Opte por refeições leves, de fácil digestão de 2 em 2horas ou no máximo de 3 em 3horas. Não se esqueça da hidratação, garantindo pelo menos 1,5l de água/dia  e de se manter ativa (caminhar, nadar, ou outro exercício sem impacto.

Já a suplementação deve continuar com o multivitamínico, ou o seu médico poderá achar necessária uma suplementação extra em ferro (prevenção da anemia) e em magnésio (prevenção das contrações).

Voltarei em breve com o 8º mês!

Gravidez – mês 7

Tempo de leitura: 6 min

Tenha acesso aos artigos mais recentes no seu email!