Como está a nossa relação?

Caro leitor

Hoje  vamos falar-lhe de um dos fatores decisivos do sucesso numa consulta de nutrição.

Talvez pense de imediato que se trata de uma determinada “dieta” ou “superalimento. Mas não. Não é de nutrição “pura” que vamos falar hoje: de nutrientes, alimentos, metabolismo, receitas… Mas sim de um dos principais fatores de sucesso para que estes façam sentido: A nossa relação! 

Já antes lhe falámos de determinantes de sucesso de ordem psicológica neste artigo:

Voltamos a este tema, pois, na nossa prática clínica apercebemo-nos todos os dias de que existem fatores relacionados com a nossa “forma de  interagir” que determinam o (in)Sucesso, seja qual for o objetivo da consulta de nutrição. 

Assim, vamos enumerar alguns destes fatores para que os  valorize, trabalhe, promova e estimule:

1. Relação com o profissional Paciente-Nutricionista

Estamos a falar de mudança de comportamento alimentar, por isso este é um dos fatores mais importantes a ter em conta. A relação que tem com o profissional que escolheu deve ser de confiança. Lembre-se que juntos fazemos uma equipa. O Nutricionista está ali para o ajudar, não para lhe dar uma receita mágica que “faça tudo por si”.

Quanto melhor, mais franca e aberta for esta relação mais motivado se irá sentir para cumprir o que lhe é proposto.

Lembre-se: Ao omitir informações ao profissional que escolheu, está a prejudicar a equipa e a diminuir as hipóteses de sucesso.

2. Periodicidade do acompanhamento

Fator Decisivo! 

Estamos a falar de mudança de comportamento. Portanto, é algo que não é inato em Si, ou que não está habituado a praticar de momento. O que há a fazer? INSISTIR! 

Os 3 R’s da formação de um hábito

Como vai aprender se “não vai às aulas” ou se lá vai de mês-a-mês? Muito difícil não acha? 

Como vai conhecer, confiar e “apoiar-se” no seu nutricionista se nunca o vê? Até se esquece do seu nome… Imagine que escolheu a nutricionista X, conhecidiiiissima porque aparece na TV, porque escreveu um um livro, ou porque “emagreceu” a sua amiga, MAS vive do outro lado do país, ou tem de fazer 100km para a ver. Acha que vale a pena? Que a Vossa relação será duradoura? acredita em relações à distância? Talvez seja melhor recorrer à nutricionista que trabalha na clínica ao lado do seu emprego.

Venha às consultas o mais possível!

3. Adequação do plano alimentar

Sim, o plano tem de ser personalizado, mas isto não significa “100% ao seu gosto”.

Se quer realmente mudar tem de estar preparado para experimentar “coisas novas”: novos paladares, novas receitas. Portanto para arriscar!

Na zona dietética só se vende comida estranha para Pássaros!

Jamais vou comer aquilo! 

Tem de sair da sua zona de conforto e, por exemplo, ir pela 1ª vez à “zona dietética”, sem MEDOS nem preconceitos!

O seu nutricionista irá orientá-lo por forma a saber o que procurar. Nas nossas consultas mostramos sempre o produto na internet e até sugerimos ao paciente que tire uma photo! Além disso, iremos ensiná-lo a ler um rótulo, a saber o que valorizar, para não “se perder”, estando sempre disponíveis para o esclarecer através de um simples email.

Não gosta de vegetais? De todos? Apresentados de que forma? Vamos fazer uma lista dos que “desgosta menos” e ensinar-lhe formas de os “disfarçar” com outros alimentos.

De qualquer forma “a bola não está só do seu lado”. Sabemos que a acessibilidade e disponibilidade são fatores decisivos no que toca à adesão. Portanto, o seu nutricionista além de adequar o plano à sua saúde, história dietética, medicação, hábitos de exercício e necessidades nutricionais, terá ainda de ter (muito) em conta os seus gostos/ preferências e as suas possibilidades económicas, assim como as suas tradições e crenças. Somos uma equipa!

Não se deixe impressionar por promessas. Procure o que é melhor para Si!