Por favor, não faça DIETA!

 Como está caro leitor?

Já pensou em fazer uma dieta para perder alguns quilos?

Agora reflita sobre esta frase. Percebeu a sua conotação negativa, restritiva e punitiva? Pois bem, vamos perceber o que é afinal «fazer dieta»:

   O peso é, na maioria das vezes, consequência dos nossos hábitos alimentares ao longo de toda a vida. Sabe-se até que o ambiente intra-uterino pode influenciar o peso futuro! Assim, muito do que nós somos atualmente, em termos de peso e de preferências alimentares, é resultado de tudo o que comemos até hoje. Quando se vê uma criança muito magra a comer doces e se ouve “ela é tão magra, pode comer” estamos, na realidade, a ouvir um grande erro. Nós somos muito mais do que o “peso”. Quando comemos esses alimentos vão construir todo o nosso corpo, vão fazer parte de cada célula! Gostaria de ter “células de doces” ou “células de vegetais”?? não é bem assim, mas o facto é que tudo o que comemos irá fazer parte do nosso organismo e dependendo da sua qualidade (riqueza em açúcar, gordura, vitaminas, minerais) iremos estar mais ou menos saudáveis. Já para não falar nas preferências alimentares adquiridas ao longo da infância, mas esse é um post que faremos no futuro.   

Posto isto, se o nosso peso é o resultado do que fizemos durante toda a vida, se o queremos mudar AGORA, então teremos que mudar daqui para a frente. Isto é, se mudar a sua alimentação transitoriamente, o seu peso também poderá mudar, mas… transitoriamente. Assim que voltar aos hábitos antigos, tem o peso de volta. Deste modo, não se trata de DIETA, RESTRIÇÃO, JEJUM… nada irá mudar. Não foi por acaso que juntei estas três palavras em letras capitais. No fundo, todas elas estão associadas nas nossas mentes. Quando alguém nos diz “estou a fazer dieta”, o que é que o nosso cérebro pensa “está a deixar de comer, não pode comer X”. Tudo conceitos negativos. Os nossos cérebros estão desenhados para procurar o prazer e a satisfação. Ninguém aguenta por muito tempo esse estado de “PUNIÇÃO”, muito menos auto-infligida. Mais tarde ou mais cedo irá ceder e provavelmente comerá, num curto espaço de tempo, tudo o que não comeu no tempo em que esteve “de dieta”! Ainda assim, há pessoas que estão constantemente “em dieta”. Oiço regularmente em primeiras consultas: “eu toda a vida fiz dieta”. Normalmente, essa punição eterna tem efeitos sobre a personalidade. Um estado de
restrição permanente causa maior irritabilidade, ansiedade, tristeza, medo, agressividade, necessidade de auto-afirmação, insegurança (mesmo que camuflada), entre muitos outros sentimentos negativos. É assim que quer viver a sua vida??

   Então, pare e pense. O que quer para si afinal? quer perder peso porquê? para ser mais saudável, ter uma aparência mais bonita, ser mais auto-confiante e feliz? São boas razões. A melhor forma de o fazer é mudar o seu estilo de vida. Mesmo que isso exija algumas transformações no seu dia-a-dia. Lembre-se que somos naturalmente resistentes à mudança, que irá custar e nem sempre irá conseguir, mas aos poucos terá sucesso. Como? escolhendo alimentos mais saudáveis, fazendo mais exercício, comendo regularmente, aprendendo a cozinhar! 

   Difícil de entender?? vou dar um exemplo que o tornará mais fácil. Muitas pessoas por razões várias optam por seguir um estilo de vida vegetariano. Não é fácil deixar de comer alimentos de origem animal e/ou seus derivados, se assim foi habituado. Contudo, estas pessoas têm motivações fortes para a mudança e a maior parte consegue em maior ou menor escala. Outro exemplo fácil de entender são casos de doença, a mais comum, diabetes. Os diabéticos sabem que não podem fazer uma alimentação rica em açúcar e hidratos de carbono, são forçados a mudar por uma motivação forte, a saúde. Deste modo, faz-se o paralelismo. A maior parte de nós não tem motivações tão fortes para perder peso, como a saúde ou crenças ideológicas específicas. Porém, deve definir objetivos, imaginar-se mais magro, antecipar o sucesso. Para isso, só tem de começar ainda hoje a seguir um estilo de vida mais saudável. Pela positiva! Pense em SAÚDE e bem-estar e não em quilos. 

        Para conseguir ter uma alimentação mais saudável deve saber o que comer. A maior parte das pessoas “pensa que sabe” o que é saudável. Mas quando analisamos esses conhecimentos em consulta acabam por ser insuficientes e vagos. Pelo contrário, uma grande maioria consegue enumerar um sem fim de alimentos que “não deve”comer para perder peso. Lá está a abordagem pela negativa. Não pense no que “não deve”, pense antes no que pode e deve comer, várias vezes ao dia e até em quantidades generosas. A maior parte das pessoas fica surpreendida no final de uma consulta de nutrição, fazendo exclamações como “mas eu vou comer isto tudo e ainda assim perder peso? é muito mais do que como atualmente!”. Se não tem informação suficiente opte por consultar um especialista, vai ficar surpreendido com o que pode afinal comer para emagrecer! Caso lhe queiram “vender” abordagens restritivas, pouco variadas, onde sente fome a toda a hora, então aconselho-o a desistir logo no início.

Já sabe que a restrição não é um estilo de vida e está condenado à partida!!
   Seja saudável para ser magro e não queira ser magro para ser saudável! 😉 

   Retire a palavra “dieta” do seu léxico, simplesmente nem a pronuncie! Diga a toda a gente que está a fazer uma “alimentação saudável”, só de o dizer já se vai sentir melhor!