Sopas saudáveis para bebés

Hoje temos um artigo para (futuras) mamãs!

A informação sobre alimentação do bebé e da criança é vasta e de fácil acesso. Blogs, aplicações, revistas temáticas, vizinhos… todos têm uma palavra a dizer sobre este tema. 

Com ou sem leite? Quando introduzir cada alimento? Biológicos ou não? Inteiros ou passados?

As dúvidas são muitas.

Neste aspeto as linhas orientadoras da Sociedade Portuguesa de Pediatria e Direção Geral de Saúde (DGS) estão um pouco desatualizadas, apresentando ainda orientações de há 6 anos (2012).

Foi já em 2017 que a ESPGHAN (sociedade europeia de gastroenterologia e nutrição pediátrica) atualizou as suas diretrizes, tendo em conta os estudos mais recentes sobre diversificação alimentar. Diretrizes até ao momento não refletidas na prática clínica pela maioria dos pediatras e médicos de família, que ainda seguem as normas da DGS.

Aconselhamos por isso a leitura de um excelente artigo do Projeto Scimed:

É neste sentido que hoje fazemos este artigo: para que não tema introduzir alimentos novos e “diferentes” na alimentação do seu bebé, abandonando a visão redutora da “sopa de cenoura com abóbora”.

A sopa do bebé

Já antes falámos sobre alimentação do bebé no artigo:

Vamos hoje dar-lhe exemplos práticos de sopas fáceis de preparas e muito saudáveis para ver o seu bebé crescer saudável.

De uma forma geral:

 BASE: Vegetais, grãos/cereais, fontes de proteína animal (carne, peixe, ovo) ou vegetal (leguminosas) 
 

 (Semi)-inteiros: vegetais, grãos, fontes de proteína

 Temperos: Azeite extra-virgem e temperos aromáticos (salsa, coentro, hortelã, cebolinho, etc)  

Base: 

  • Vegetais: tenha o cuidados de variar, mas pode usar um pouco de tudo.
    • Textura: curgete, chuchu, brócolos, couve-flor, feijão-verde…
    • Cor “amarela/laranja”: abobora, cenoura, beterraba, tomate, pimento vermelho/amarelo…
    • Cor “verde”: couves, acelga, espinafres, grelos, alface…
    • Acidez: nabo, rabanete, cebola, alho, alho frances…
  • Fontes de amido (hidratos de carbono):
    • Tubérculos: batata comum, batata-doce, mandioca,  inhame…
    • (pseudo) Cereais: aveia, quinoa, bulgur, millet, milho, arroz, trigo sarraceno…
    • Leguminosas: lentilhas verdes/vermelhas; feijão, grão, ervilha, fava …
  • Fontes de proteina (animal/ vegetal)
    • Leguminosas: lentilhas verdes/vermelhas; feijão, grão, ervilha, fava …
    • Carnes: ovo, frango, peru, coelho, pato, borrego, cabrito, vitela, vaca…

Inteiros/ semi-inteiros:

Neste campo o mais importante é perceber a capacidade do bebé em mastigar e engolir. À medida que o bebé cresce vá deixando os purés e comece a colocar uma fração dos ingredientes da base inteiros (ou outros). Por exemplo: coza o peixe (sempre à parte), colocando uma parte na base e o restante inteiro, apenas desfiado. Faça o mesmo com os cereais, deixando-os cozer bem para facilitar a mastigação, por exemplo, faça uma sopinha com grãos de arroz “a boiar”, ou de macedónia de ervilhas e cenouras baby. O bebé vai adorar e vai ser estimulado a mastigar estes pedaços que tem na boca.

Temperos:

O uso de sal é totalmente desaconselhado e desnecessário. Até porque os alimentos já têm sódio natural.

Escolha ervas aromáticas frescas/secas para dar sabor: alho, coentro, hortelã, cebolinho, manjericão, louro, salsa… Dão cores, cheiros e sabores incríveis à sopa do seu bebé.

Como gordura, use apenas o azeite extra-virgem e adicione-o no final da cozedura dos legumes.

Outras notas:

Sabemos que o excesso de proteína animal na alimentação do bebé predispõe à obesidade/ excesso de peso, diabetes e desenvolvimento de alergias – estudo. No entanto, também é a melhor fonte de ferro da alimentação e a mais biodisponivel para absorção. Neste sentido, aconselha-se o uso de 20g de carne/peixe por sopa (o equivalente a uma colher de sopa bem cheia). 

Por outro lado, mantém-se a indicação de início da diversificação alimentar entre os 4 e 6 meses de vida. Mesmo aos alimentos considerados potenciais alergénios (amendoim, frutas tropicais, glúten, ovo, peixes, carnes vermelhas) – estudo.

Para verificar a tolerância do bebé ao novo alimento, seja ele qual for, recomenda-se que mantenha o consumo por 4 a 7 dias, até à próxima introdução.

1. Sopa de beterraba e agrião

Ingredientes (rendimento 5x 200ml):  base – 1 beterraba pequena; 1 chuchu; 1 alho francês; 1/4 couve coração; 100g flocos de aveia; 300ml água. Inteiros – 50g folhas de agrião-baby; 100g frango pré-cozido desfiado; coentro fresco q.b.; 1c sopa azeite.

2. Sopa de feijão-azuqui com quinoa
 

Ingredientes (rendimento 5x 200ml):  base – 100g abóbora limpa; 1 curgete; 1 batata doce média; 1 cebola; 1 folha de acelga; 300ml água. Inteiros – 100g de feijão-azuqui cozido; 50g de quinoa crua; cebolinho q.b.; 1c sopa azeite.  

3. Sopa de borrego e ovo

Ingredientes (rendimento 5x 200ml):  base –  1 nabo médio; 1/2 couve coração; 3 cenouras médias; 100g espinafre; 1 cebola; 150g carne de borrego pré cozida, 300ml água. Inteiros – 2 ovos cozidos picados; 100g cenoura ripada; 50g millet; alho; hortelã fresca;  1c. sopa azeite. 

4. Sopa de peixe e pimento

Ingredientes (rendimento 5x 200ml):  base –  100g de batata; 1 tomate grande; 1 pimento verde; 1 cebola; 1 chuchu; 300ml água. Inteiros – 100g peixe pré-cozido desfiado; 50g de trigo sarraceno ou arroz; coentro fresco q.b.  1c sopa azeite. 

5. Sopa ervilhas/lentilhas com espinafres 

Ingredientes (rendimento 5x 200ml):  base –  1 curgete; 1 brócolo; 1 alho francês; 200g abóbora; 100g de perú cozido; 300ml água. Inteiros – 100g de ervilhas/lentilhas laranja frescas ou congeladas; 100g de espinafres-baby; tomilho seco q.b.;  1c sopa azeite.