Chá ou Infusão?

Como vai caro leitor?
Com as noites mais frias começamos a procurar aconchego: lareiras, aquecedores, roupas quentes, comida e bebidas, tudo vale para nos reconfortar.
Pois bem, o chá é uma das bebidas que mais nos ajuda a aquecer de uma forma saudável. Mas que chás devemos beber? São todos iguais? Existe algum que se deva beber com moderação? Vamos descobrir.

 

Breve História do Chá:

A história do Chá começa na China. De acordo com a lenda, em 2737 a. C., o imperador chinês Shen Nung estava sentado sob uma árvore enquanto um servo fervia água para beber. O vento fez cair algumas folhas da água para a água fervente. O imperador, um reconhecido ervanário, decidiu experimentar a infusão que o seu servo havia criado acidentalmente. A árvore era uma camellia sinensis e a bebida resultante tornou-se o que hoje chamamos chá (verde).

Os primeiros europeus a ter contacto com o chá foram os Portugueses aquando da sua chegada ao Japão em 1560. No entanto, terão sido os Holandeses a trazer pela primeira vez o chá para a Europa, sendo responsáveis pela intensificação do seu comércio, mais tarde desenvolvido pelos Ingleses.

Num ápice, a Europa começou a importar as folhas de chá, tornando-se rapidamente popular, sendo hoje, a seguir à água, a bebida mais consumida em todo o mundo.


Chá ou Infusão?

Chá e infusão são bebidas diferentes, embora muitas vezes confundidas e denominadas globalmente por “chá”. Pois bem, tal como a história conta, chá é o resultado da cozedura de uma única planta a camellia sinensis. Deste arbusto obtêm-se vários

tipos de chás, entre eles o preto, verde, oolong, pu’er, branco, etc.

Por sua vez, as infusões são chamadas, em inglês, de Tisanes ou Herbal Teas e podem ser feitas com  flores, cascas de frutas, folhas ou raízes de plantas diversas e sementes (frescas ou secas). Na sua composição não há nenhuma adição de chá (seja preto, verde, oolong ou branco).
Das imensas variedades de infusões, são exemplos: tília, erva príncipe, camomila, lúcia-lima, erva mate, jasmim, hortelã, gengibre, boldo, cidreira, folha de oliveira, carqueja, canela, anis, rooibos e cascas de frutas como limão, laranja e romã.

Atualmente as infusões estão globalizadas. Encontramo-las em ervanárias, supermercados, lojas especializadas e importadoras de chás gourmets e (a minha preferida) no nosso jardim! Cá por casa temos erva príncipe, cidreira e lúcia-lima. É um prazer colhê-las e cozê-las no momento.

Contudo, ingredientes de infusões podem servir para aromatizar diferentes tipos de chá. Para isso, usa-se a base de chá (preto, verde, etc) e mistura-se com o complemento que desejar. Aí sim, são chamados chás. Neste caso, um blend (mistura) de chá, por exemplo, uma mistura de chá verde e limão.


Características e propriedades do chá

O chá não é um medicamento, mas os seus benefícios para o organismo são variados.

Existem várias espécies de chá:
Os tipos básicos de chá são provenientes da mesma espécie (camellia sinensis). Distinguem-se entre si pelos processos de secagem e de oxidação (escurecimento das folhas devido à quebra de clorofila), o que determina uma ampla gama de sabores e aromas.

  • Chá verde: Produz uma mistura de cor verde jade e um suave e relaxante odor a folhas frescas. É o menos oxidado e, por isso, preserva uma maior quantidade de catequinas, um fitonutriente com uma forte ação antioxidante.
  • Chá preto: É o mais aromático e o mais forte. As suas folhas em água a ferver produzem uma bebida castanha avermelhada com um aroma semelhante ao do malte. É também o mais rico em teína (efeito semelhante à cafeína.
  • Chá oolong: Considerado uma variedade intermédia entre o verde e o preto, pode apresentar três fases de oxidação, designadamente ligeira, moderada ou completa.
  • Chá branco: Resulta da mistura de chá com folhas jovens, que não sofreram efeitos de oxidação. É o mais suave e delicado e também o mais caro e difícil de encontrar.

 

6 razões para beber chá

  1. É hidratante: Vários estudos descrevam o chá como uma fonte de hidratação por excelência, logo a seguir à água. Assim contribui para a hidratação de todos os tecidos, por ex. a pele!
  2. É antioxidante: Combate o envelhecimento, devido ao seu elevado conteúdo em flavonoides (fitonutrientes com forte ação antioxidante).Esta propriedade faz do chá um fiel aliado do coração, evitando a aterosclerose, reduzindo a tensão arterial e o risco de enfarte.
  3. Tanto pode ser excitante como relaxante: O chá contém L-teanina e baixos níveis de cafeína o que, para além de mais benéfico para a saúde, ajuda a manter a pessoa em alerta. Para além disso, a L- teanina produz efeitos tranquilizantes no cérebro, induzindo o relaxamanto sem causar sonolência. 
  4. É anti-infecioso: Os taninos (fitonutrientes com ação adstringente) não só conferem ao chá o seu sabor ligeiramente amargo, como também as suas qualidades antivirais e antibacterianas. Segundo alguns especialistas, combatem inclusive o vírus da gripe, o herpes simplex e a hepatite crónica.
  5. É anticancerígeno: Os seus compostos, sobretudo os do chá verde, exercem um papel protetor contra as células tumorais do pulmão, pele, próstata e estômago. Para além disso, atua contra agentes cancerígenos como as nitrosaminas. 
  6. Protege os dentes: Contém flúor, que contribui para o endurecimento do esmalte dentário. É por esta razão que os japoneses aconselham os seus filhos a beberem chá verde depois de comerem doces. No entanto, não pode ser usado como substituto de uma boa higiene oral já que a desvantagem do chá é a de poder manchar os dentes.

Que quantidade de chá se deve beber?

    É aconselhável beber uma ou duas chávenas de chá por dia, ao pequeno almoço e depois do almoço, cada uma com 2,5 g (uma colher de chá de folhas ou uma saqueta).
Se beber uma quantidade maior, é melhor consultar um médico, sobretudo se estiver a tomar algum medicamento ou se sofrer de alguma doença. Isto porque, quando em excesso o chá pode afetar a sua saúde, assim como o excesso de cafeína. Deste modo, se é hipertenso, tem problemas cardíacos, renais ou de tiróide, se está grávida ou a amamentar, se faz medicação psiquiátrica, se sofre de nervosismo e ansiedade ou tem problemas de sono, deve consultar o seu médico antes de beber chá.


 

Carecterísticas do chá verde

O chá verde é amplamente conhecido pelas suas propriedades terapêuticas a vários níveis, principalmente a nível da oncologia. Mais de 600 estudos científicos confirmam as suas propriedades antitumorais ao nível do cancro do cólon, pâncreas, esófago, pulmões, mama e próstata.
Para além disso, também apresenta benefícios a nível cardiovascular, reduzindo o risco de aterosclerose, enfarte do miocárdio e outras doenças cardiovasculares como a hipercolesterolemia:

  • Diminui o colesterol LDL (saiba mais no artigo Saiba tudo sobre colesterol);
  • Reduz a agregação plaquetária, a disfunção endoelial e a lesão isquémica;
  • Aumenta a produção de óxido nítrico (vasodilatador).

Vários estudos epidemiológicos confirmam a relação direta entre o elevado consumo desta planta medicinal e a baixa incidência de vários tipos de cancro entre os chineses e japoneses.
A eficácia do chá verde é dose-dependente, tendo-se verificado os melhores resultados em mulheres com menos de 80 anos (mas também em homens) que bebiam mais de dez chávenas por dia (cerca de 2 g de extrato de chá verde).

Atenção, o chá verde é um estimulante do sistema nervoso, essencialmente devido ao seu conteúdo de teína (2 a 3,5%). Por esta razão, lhe é atribuída “fama” no tratamento da obesidade (favorece a termogénese). Contudo, como já foi dito, se tem algum problema de saúde (acima descritos) deve consultar o médico antes de ingerir chá verde. Este pode fazer tão bem como mal.


 

Propriedades medicinais das infusões

  As infusões podem ser ingeridas por prazer ou por motivos medicinais. Há milénios que se usam as plantas pelas sua propriedades curativas ou preventivas. As acções mais conhecidas são a desintoxicante, energizante, depurativa, como reforço do sistema imunitário e como prevenção de várias doenças.
São tantas as plantas e os seus efeitos que não faria sentido estar a descrever todas, ou a escolher só algumas. Assim, sugerimos que visite o site CRIASAÚDE para conhecer as propriedades de qualquer extrato.

Sugerimos ainda a visita ao site “Bem Tratar” que  explica como preparar uma infusão medicinal.


 

Em conclusão
   Os chás e as infusões são amplamente consumidos por todos, especialmente no tempo frio. Podem ser bebidos apenas por prazer, para aumentar o consumo hídrico ou por razões medicinais. Contudo, deve estar atento e saber que chá não é água. Assim, não pode beber “à vontade”. As plantas podem interagir com medicamentos, podem causar reacções alérgicas, hiperatividade, ansiedade, retenção de líquidos, etc.
Deste modo, se tem problemas de saúde ou faz muita medicação consulte primeiro o seu médico. Mais vale prevenir. Existem casos descritos de intoxicações hepáticas por excesso de chá e de infusões. Fique atento e consuma sempre com moderação.
Ainda assim, uma infusão de cidreira, de limão ou de maçã & canela nunca “matou ninguém”. Desfrute!

Logo-03