A balança engana!

Como vai caro leitor?

Hoje temos um artigo sobre BALANÇAS. Aquele objeto que uns veneram, outros temem e outros detestam! O ideal mesmo é que a respeite, sem lhe dar demasiada importância e vamos saber porquê!

O nome correto para a balança será medidor de massa (peso). Massa é a quantidade de matéria que um corpo possui, sendo portanto constante em qualquer lugar da terra ou fora dela. A unidade fundamental de massa chama-se quilograma. Tornou-se habitual designar-se esta unidade por “peso“, embora não seja correto em termos científicos, já que o peso é uma unidade de força com que um corpo é atraído (gravidade) para o centro da terra, logo varia de acordo com o local em que o corpo se encontra.

Por exemplo: Um homem na lua é 6x mais leve do que na Terra, contudo tem a mesma massa corporal!

Adiante…  Vamos descrever 5 erros comuns das balanças que o devem afastar deste aparelho.


A questão principal: Por que razão nos pesamos?

Normalmente a pesagem visa apurar o resultado de mudanças no estilo de vida, sejam alimentares ou de exercício. Portanto queremos que a balança nos siga se estamos a TER SUCESSO! A interpretação parece simples: Aumentar peso significa mais gordura e diminuir peso é gastar gordura (ou músculo). Mas será assim TÃO SIMPLES? Não, nada simples.

Relembramos a constituição do corpo humano:

LEGENDA: Muscle = Músculo / Essencial Fat = gordura essencial (à vida) /Nonessencial (storage) fat = Gordura não essencial ou de reserva / Bone = Osso / Other = Outros (por exemplo: fluidos, sangue, conteúdo alimentar, órgãos, cabelo, unhas…)

Deste modo, quando medimos o peso na balança estamos a medir a SOMA de TUDO isto!

Quando se pesa há grande probabilidade de não estar na mesma condição que na medição anterior. Significa isto que pode contar mais (ou menos) líquidos, conteúdo alimentar, gordura, água muscular… Basta hoje estar mais calor que ontem e o seu corpo já terá mais reservas de líquidos, ou não ter evacuado, ou estar a  pré-menstruar, ou o jantar de ontem ter sido mais salgado… Enfim! Vamos analisar com mais pormenor:


Principais erros na pesagem

1. O aparelho e sua condição

Os aparelhos erram! Por vezes por culpa deles, outras por culpa do utilizador:

  • Para verificar se o seu aparelho tem precisão pesa-se consecutivamente por 3 vezes:deve achar nas 3 vezes o mesmo valor
  • Pese-se sempre na mesma balança.
  • Verifique a posição do aparelho: deve estar numa superfície lisa, sem tapetes/carpetes, evitando juntas/ranhuras e qualquer desvio que impeça a total horizontalidade.
  • Verifique frequentemente o estado da carga/ bateria.
  • Coloque os pés sempre na mesma posição e olhe em frente (pendurar a cabeça para ver o resultado aumenta o peso 😉 )
  • Pese-se sempre na mesma condição, de preferência nu, no mesmo dia e em jejum

2. A hora da pesagem

Não é o relógio que influencia o peso, mas sim o seu estado. Por este motivo a pesagem deve ser feita sempre em jejum, o que significa após acordar e urinar.

Se por exemplo fez um turno da noite não se deverá pesar ao chegar a casa, pois estará a somar ao seu peso o que comeu/bebeu, independentemente de se estar a pesar às 8h da manhã!

Estima-se que, em média, ao final do dia se possa acumular cerca de 1kg em alimentos e líquidos. Pode então acordar com 60kg e às 19h ter 61kg! Não engordou! Apenas comeu e bebeu, como seria de esperar. Portanto de que vale fazer essa pesagem? Nada.


3. O conteúdo em líquidos

O conteúdo corporal em líquidos pode variar MUITO de pessoa para pessoa e na mesma pessoa.

 São diversos os fatores que nos levam a reter líquidos ao longo do dia, ou seja, os líquidos que vamos bebendo não correspondem à  excreção urinária. São exemplo:
  • Temperatura elevada do ambiente;
  • Exposição solar;
  • Prática de exercício ou grandes esforços físicos;
  • Pressão atmosférica (viagens de avião/ montanha);
  • Estar muitas horas sentado/ de pé parado;
  • Stress/ nervosismo/ ansiedade;
  •  Excesso de estimulantes (ex. cafeína);
  • Poucas horas de sono;
  • Obstipação (prisão de ventre)
  • Alimentação irregular/ jejum;
  • Alimentação rica em sal/ açúcar/ gordura.
  • Consumo de álcool;
  • Baixa ingestão de líquidos;
  • Certos medicamentos (ex. antihistamínicos, corticoides, antibióticos, antinflamatórios, contracetivos orais);
  • Tabagismo, etc.

Leia mais em Retenção de líquidos.

Acrescentamos ainda que além destes fatores, algumas doenças também contribuem para o desequilíbrio hídrico como: Excesso de peso e obesidade, alterações hormonais, doença cardíaca/renal, doenças circulatórias (varizes, “má circulação”), doenças pulmonares.

Um exemplo clássico de aumentos rápidos de peso devido a retenção de líquidos são as subidas de temperatura atmosférica e a fase pré-menstrual!

Alimentos pouco saudáveis como os ricos em gordura, farináceos refinados, sal, açúcar, E’s, álcool, cafeína obrigam o nosso corpo a reter líquidos. Por isso já sabe, não vale a pena valorizar demasiado o número que vê na balança…


4. O conteúdo em alimentos

Os alimentos pesam no prato do self-service, também pesam dentro de nós! Neste aspeto vamos descrever 2 fatores:

  1. Trânsito intestinal – caso sofra de obstipação o número que vê na balança está longe de ser um bom indicador de sucesso! É aconselhado não se pesar de todo, pois correrá o risco de desmotivar facilmente. Por outro lado se tem diarreias frequentes também está a alterar o peso, libertando conteúdo intestinal, claro que desce o peso! Embora possa ficar muito satisfeito com esse número, só se estará a enganar, já que mais tarde o peso voltará ao normal.
  2. “Pós-festa” – Para quê pesar-se após um casamento ou convívio? Apenas para pesar o que comeu/bebeu na festa! Espere 2-3 dias de alimentação saudável e volte a pesar-se! Aí sim verá quanta gordura aumentou 😉
FACTO – Os batidos de sumos e vegetais tornaram-se moda não só pelo rótulo “detox”, mas também pela leveza, bem-estar e perda de peso que proporcionam. De facto é uma perda de peso e não necessariamente de gordura. A maior parte do peso perdido após 1 dia de “detox” é água que urinou e menor conteúdo alimentar dentro do intestino. Ao retomar a sua alimentação sólida “este quilo” voltará.

5. Exercício

É verdade, o treino (bem feito) com uma carga significativa provoca retenção de líquidos nas fibras musculares!

Ficou com dores? Ótimo! É sinal que deve continuar a treinar, mas não pesar-se! Já que irá medir um aumento do peso em água retida no músculo, alguma transitória, outra mantida enquanto treinar.

Sabe “aquele quilo” que aparece sempre que começa a treinar e parece atrasar os seus progressos? De todo não é verdade! Um músculo ativo é sinal de metabolismo mais rápido e saudável. Só irá ajudar! Leia Prefere estar magro ou “em forma”?

Esta é mais uma razão para desvalorizar o que vê na balança. Um corpo saudável e bonito, não é necessariamente leve/ pequeno/ pouco pesado.


Em conclusão

A balança engana-nos com facilidade!

Se depende de “resultados” para continuar motivado num processo de mudança, então valorize a composição corporal, seja músculo e/ou massa gorda. Estes valores devem ser apurados por nutricionistas através de métodos validados, sejam bioimpedâncias, pregas cutâneas ou outras.

Se facilmente vê variações no seu peso agora já sabe que são com toda a certeza água ou conteúdo alimentar. Para formar gordura ou músculo o nosso corpo precisa de tempo, a bem do nosso equilíbrio e sobrevivência.

Além de tudo isto, sabemos que para muitas pessoas a pesagem é uma adição, um vício, que mexe com a sua qualidade de vida, auto-estima, motivação… liberte-se consultando um nutricionista e aprendendo a valorizar o que realmente interessa