5 superalimentos que valem a pena!

Como vai caro leitor?

Nas últimas publicações temos tentado simplificar a alimentação saudável demonstrando-lhe que pode ser mais simples, “descomplicada”, acessível e saborosa do que imagina.

Contudo, é comum ouvirmos comentários como:

Então e os superalimentos?

Vale a pena comprá-los? Não são assim tão acessíveis e há tantos…

O que são Alimentos Funcionais Ou Superalimentos 

   Os alimentos funcionais fazem parte de uma nova conceção de alimentos, lançada pelo Japão na década de 80, através de um programa do governo que tinha como objetivo desenvolver alimentos saudáveis para uma população que envelhecia e apresentava uma grande expectativa de vida. 
   Na última década, o estudo dos alimentos funcionais  tem sido impulsionado, em grande parte, pelo aumento da consciência dos consumidores em relação à saúde, que desejando prolongar a sua qualidade de vida, optam por hábitos alimentares mais saudáveis.

    Assim, o que distingue estes alimentos?
   Os alimentos funcionais devem apresentar propriedades benéficas para a saúde, além das nutricionais básicas, sendo apresentados na forma de alimentos comuns. São consumidos em dietas convencionais, mas demonstram capacidade de regular funções corporais, prevenindo a doença. Ou seja, são todos os alimentos ou bebidas que, consumidos na alimentação quotidiana, podem trazer benefícios fisiológicos específicos, graças à presença de ingredientes saudáveis.

   Entre estes “ingredientes saudáveis” benéficos para a saúde, estão:

  • Carotenóides 
  • Fibras
  • Isoflavonas
  • Prebióticos
  • Ómega-3
  • Fitoesteróis
  • Antocianina
  • Alicina
  • Catequinas
  • Sulforafano


Vamos enumerar 5 que vale mesmo a pena consumir:

1. Bagas Goji

Originárias do Noroeste da China e do Tibete e usadas pelos chineses há milhares de anos, faz parte dos cerca de 8000 ervas e alimentos constituintes da Medicina Tradicional Chinesa.
O Goji é um fruto constituído por pequenas bagas vermelhas, que são desidratadas ao sol ou a temperaturas inferiores a 40ºC e consumidas nas formas seca e crua.

As bagas de Goji pode ser adquiridas em supermercados e ervanárias. São encontradas em pacotes e a sua utilização mais habitual é através de preparados de pequeno-almoço com outras frutas secas ou frescas.
São excelentes fontes de proteína completa, contendo 18 aminoácidos diferentes, entre os quais 8 essenciais ao nosso organismo, 21 minerais, onde se destacam o zinco, cobre, ferro, cálcio, fósforo e selénio. Tem vitaminas B1, B2, B6 e vitamina E, e também polissacarídeos, que contribuem para a fortificação do sistema imunitário e anti-envelhecimento.
Com propriedades antioxidantes e anti-cancerígenas, fortalece o organismo contra as doenças cardiovasculares e inflamatórias, problemas na visão, doenças do sistema neurológico e imunitário.
São aconselhadas na preparação de refeições, como saladas, batidos e com cereais de pequeno-almoço. Podem ser misturados com outras frutas secas ou frescas e em chás.

Adaptado de Sapo Lifestyle


2. Baobá

Baobá

Este superalimento provém do embondeiro, a “Árvore da vida” nativa de África. É essencial na alimentação das populações da savana, cobrindo grande parte das suas necessidades nutricionais.

É uma excelente fonte de vitamina C, cálcio, ferro, potássio e zinco, bem como de fibras solúveis que mantêm a saúde do sistema digestivo e que ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue.

Pode ser encontrado em Portugal sob a forma de pó, sendo consumido em batidos ou papas.

Adaptado de VidaAtiva.pt


3. Camu-Camu

O camu-camu é um pequeno fruto originário da Amazónia, sendo dos mais ricos em vitamina C que se conheça!

Camu-camu

A vitamina C (ácido ascórbico) ajuda a combater os radicais livres (elementos nefastos naturalmente produzidos no nosso organismo), a fortalecer o sistema imunitário e a absorver o ferro dos alimentos.

Alguns estudos indicam também que o camu-camu poderá ter efeitos antibacterianos e anti-inflamatórios. 

Tal como o baobá, o camu-camu em pó poderá ser adicionado a batidos ou papas, ou mesmo apenas dissolvido em água.

Adaptado de VidaAtiva.pt


4. Sementes de chia

Estas sementes de forma oval com 2mm de comprimento, são oriundas do México e Guatemala e eram consideradas um super alimento para os incas e maias, sendo que os seus guerreiros alimentavam-se alguns dias só com estas sementes em tempos de batalhas. O significado de Chia é “força”, pela energia que proporciona e naquela época valiam mais do que o próprio ouro.Vejamos as suas características:

  • Cerca de 19 a 23% do seu peso é proteína completa, contem todos os aminoácidos essenciais em equilibrio perfeito.
  • 60% do seu óleo é Ómega 3 e 40% Ómega 6.
  • Contém: 6 vezes mais cálcio do que o leite, 3 vezes mais ferro do que os espinafres, 15 vezes mais magnésio do que os brócolos. É também rico em magnésio, manganésio e boro (que também é fundamental para os ossos).
  • Tem conteúdo em antioxidantes superior ao dos mirtilos.
  • 100% natural, sem glúten e não OGM.

Benefícios:

  • As sementes de chia são saciantes, por aumentarem o seu volume quando conjugadas com líquidos, evitando assim o desejo de ingerir mais alimentos.
  • Equilibram o açúcar no sangue, garantindo energia ao longo do dia e diminuindo o risco de diabetes tipo 2.
  • Ajudam a regular o trânsito intestinal, previne diverticulos (diverticulose), pois a sua fibra solúvel hidrata o cólon e facilita os movimentos peristálticos.
  • Ajuda a diminuir os níveis de colesterol e triglicéridos.
  • São também muito benéficas para desportistas, pois por serem hidrofilicas, e absorverem até 10 vezes o seu peso em água, mantendo o corpo hidratado.
  • No caso de refluxo gastro esofágico, colocar 1 colher de chá de sementes de chia num pouco de água, mexer e beber de imediato. Aguardar uns minutos e depois beber 1 copo cheio de água. Ajudam a absorver o excesso de ácido.

Adaptado de Sapo Lifestyle


5. Spirulina

É uma microalga verde-azulada encontrada naturalmente em lagos africanos, mas hoje em dia é cultivada em tanques de água doce.

Na sua composição entram, principalmente, as proteínas (60-70%), contendo todos os aminoácidos essenciais. Esta sua propriedade, juntamente com a elevada capacidade antioxidante, fazem da spirulina um importante aliado para os desportistas, sobretudo no pós-treino, auxiliando na recuperação muscular.

É também rica em cálcio, ferro e potássio, que promovem a saúde dos ossos, auxiliam na oxigenação do organismo e regulam a pressão arterial, respetivamente; várias vitaminas do complexo B, que equilibram o sistema nervoso e a saúde em geral; vitaminas C e E, que neutralizam os radicais livres; em vitamina D, que juntamente com o cálcio contribui para o desenvolvimento de ossos e dentes fortes; em betacaroteno, que mantém a saúde dos olhos e em ácidos gordos essenciais.

Além de tudo isso, a spirulina tem uma parede celular muito fina, digerida pelo nosso organismo, o que permite uma absorção fácil dos nutrientes.

A spirulina em pó tem um sabor amargo, mas adocicado no final, devendo ser combinada com outros sabores fortes, como frutas e hortícolas.

Adaptado de VidaAtiva.pt