Gravidez: Mês 2

Como vai caro leitor?

Voltamos para mais um artigo sobre gravidez. Leu a publicação sobre o 1º mês? Muito importante para quem deseja engravidar!

Pois bem, o segundo mês vai desde a 5ª à 8ª semana. Vamos contar-lhe tudo o que deve saber sobre este período em que possivelmente descobriu que está grávida!

Na 5ª semana faltou-lhe oficialmente a primeira menstruação há alguns dias. Provavelmente continua ansiosa, com sintomas estranhos que não sabe se são “da sua cabeça” ou a menstruação “a vir”. Sim, faça o teste! Avance! Se tem duas “risquinhas” mesmo que claras, então é muito provável que esteja grávida. Porquê provável? porque só pode mesmo ter a certeza com a confirmação através de teste sanguíneo. Este é pedido pela sua médica. Trata-se da medição da mesma hormona que mede o teste, a beta-hCG (beta- gonadotrofina coriónica humana) que é uma glicoproteína produzida no sinciciotrofoblasto (camada de células que dará origem à placenta) e é detetável no sangue materno a partir do 9º – 10º dia post-pico da hormona (1º a 2º dia após a implantação na parede uterina).

Valores de referência para beta-hCG

  • Beta-hCG abaixo de 5 mIU/ml – resultado negativo, ou seja, não está grávida.
  • Beta-hCG entre 5 e 25 mIU/ml – resultado indefinido. Pode estar ou não grávida. Nestes casos recomenda-se repetir o teste após três dias. Se estiver grávida, os níveis hormonais serão mais elevados e, por isso, são mais facilmente detetáveis.
  • Beta-hCG acima de 25 mIU/ml – resultado positivo, indicando que está grávida.

Pois bem, após a confirmação da gravidez na 5ª semana através do teste e pouco depois através de análise de sangue, está na altura de fazer uma ecografia para ver se “está tudo no sítio”. A primeira ecografia deve realizar-se entre a 6ª e a 9ª semana e destina-se a verificar/confirmar a gravidez:

  • Se existe 1 ou mais embriões (gravidez gemelar)
  • Onde está implantado (em que zona do útero ou fora dele – gravidez ectópica)
  • Se existe batimento cardíaco (confirma a viabilidade do embrião)
  • Primeira datação da gravidez
  • Presença de embrião + vesícula vitelina

É provável que na 6ª semana ainda não seja visível o batimento cardíaco, isto porque ele é do tamanho de um grão de arroz. Não fique preocupada, o seu médico irá apenas recomendar que repita após 1 a 2 semanas.

Ecografia com 5 semanas e 3 dias: Embrião mais vesícula vitelina

[story_box image=”” style=”horizontal” title=”” link=”” target=”_blank” animate=””]No meu caso, realizei a primeira “eco” com 6 semanas, em que foi visível o saco gestacional com placa embrionária insipiente, vesícula vitelina e batimento cardíaco. Repetimos às 8 semanas onde já vimos um embrião “maiorzinho” e com o batimento cardíaco bem acelerado como é normal.

CONSELHO: no 2º mês de gravidez ainda está tudo muito indefinido, não “saia contando” para toda a gente que viu uma “risquinha” no teste. Aguarde, pelo menos, pela confirmação da presença de batimento cardíaco.[/story_box]

 

Sinais e sintomas

Se está à espera de ver a sua barriga crescer logo no início está enganada. Provavelmente pode estar um pouco mais “inchada” das mudanças hormonais súbitas, tal como acontece na semana da menstruação, mas não do próprio embrião. Da 5ª à 8ª semana o seu bebé crescerá de o tamanho de “um grão de arroz” (6mm e 0,2g) para o tamanho de “uma framboesa” (1,6cm e 1g), portanto não esperamos que uma framboesa ocupe assim tanto espaço certo? O útero começará o seu crescimento, contudo será difícil percepcioná-lo tão cedo. Por este motivo não é expectável que a mãe ganhe peso durante os 3 primeiros meses de gravidez. Mais! É especialmente a partir da 6ª semana que começam os habituais sintomas (desagradáveis) da gravidez e que se mantêm durante todo o primeiro trimestre (comigo foi mesmo assim). Falamos de:

  • Cansaço, sonolência anormal e durante todo o dia
  • Aumento da frequência urinária
  • Indisposição, náuseas, vómitos, azia (o pior de tudo :/ )
  • Mama/mamilo sensível, com algum crescimento e dor
  • Cheiro mais “apurado” com intolerância de muitos odores que antes lhe eram familiares e agradáveis (ex. o seu próprio perfume/creme/champô)
  • Cólicas ou “moínhas” na barriga
  • Perda ou aumento de apetite
  • Variações do trânsito intestinal (ex. prisão de ventre, flatulência)
Perfil 6ª semana de gravidez

Lembro que nesta fase deverá estar a fazer a suplementação que o seu médico considerar adequado, pelo menos de ácido fólicopara garantir a correta formação do sistema neurológico do embrião. Esta fase de desenvolvimento está cheia de “pontos críticos” onde tudo pode correr mal, por isso há que ter o máximo cuidado e nada dar por garantido. Mas não se preocupe demasiado, não crie demasiadas expectativas, esteja descontraída e viva o momento 🙂

Quanto à nutrição, lembre-se que nesta fase tudo o que come está a formar o seu embrião, como lhe disse no parágrafo anterior “tudo conta”! Tente gerir os seus sintomas, comendo pouco e muitas vezes ao longo do dia. Alimentos frescos como fruta e vegetais ajudam a controlar as náuseas e vómitos. Não beba demasiada água, dividindo-a fora das refeições e ao longo do dia.  O seu plano deve ser o mais saudável possível, contendo 5 a 6 refeições por dia, 2-3 porções de frutas frescas, vegetais e sopa ao almoço e jantar e pequenos lanches que lhe mantenham o açúcar estável no sangue, como pão escuro ou tostas de centeio. As amêndoas com pele ajudam a controlar a azia e o sumo de limão o enjoo! Evite alimentos doces, salgados e com muita gordura, pois para além de piorarem as náuseas irão prejudicar o crescimento do seu “mais que tudo”! Deve abster-se de beber álcool e diminuir os cafés para 1 por dia (assim como o chá verde, preto e colas). Lembre-se de higienizar corretamente os alimentos e cozinhá-los o melhor possível! Se não tem a certeza se está fresco ou bem confeccionado, não coma!

Espero que tenha gostado! Em breve voltarei para o 3º mês!

Por nutricionista Catarina Bragadeste