Pós-parto mês #2

Como vai caro leitor?

Cá estamos nós no MÊS DO NATAL a falar sobre recuperação pós-parto 😉 ou seja, EMAGRECER e recuperar a “boa forma”.

Leu o artigo sobre o 1º mês? Pós-parto mês #1

Este artigo é para todas as recém mamãs, ou mesmo aquelas que já não são assim tão “recém” 😉 

Como nutricionista, tive o gosto de acompanhar várias grávidas e seguir o seu pós-parto. O feedback que tinha das consultas é que TUDO parecia “MUITO difícil”:  Muita fome, muita sede, muitos desejos, muito sono, muita desregulação de horários, muita falta de tempo, mas muito amor pelo bebé, claro! Na consulta, o nosso objetivo é reorientar o plano alimentar para a fase de amamentação e recuperação do peso pré-parto. Não só do peso, mas também dos treinos. E, como não poderia deixar de ser, ajudar a mãe a lidar com todas as dificuldades que encontra, que a levam a “deixar-se para trás”. A verdade é que muitas mulheres engordam mais no pós-parto, durante a fase da amamentação, ou enquanto estão de licença, do que engordaram na gravidez! Se está nesta situação, esta é a fase ideal para procurar um nutricionista! Não deixe para depois (já pode ter vários quilos acumulados).

 

Sim, é possível emagrecer no mês das festas de Natal.

Sim, é possível emagrecer com um recém-nascido.

Sim, é possível emagrecer a amamentar.

Não é fácil 😉 Mas é possível! Quem lhe diz sou eu, nutricionista Catarina C. Bragadeste. Aliás, não lhe digo, mostro.

No artigo #1 expliquei-lhe que aumentei 15kg no total da gravidez e como recuperei os primeiros 9kg rapidamente. Contudo, devido ao parto por cesariana, estava impedida de treinar, o que dificultou muito a continuidade da recuperação. Isto porque, tal como aplicamos nas nossas consultas, Eu Não Faço Dieta. Ou seja, não faço uma alimentação restritiva que obrigue o meu corpo a gastar gordura, mas que desequilibre a minha mente e o meu bem-estar. Na realidade como de tudo (o que é saudável), respeitando os princípios básicos da alimentação equilibrada:

  • Comer de todos os grupos alimentares
  • Fracionar as refeições ao longo do dia
  • Beber água ao longo do dia (>1,5l/dia)

Parece simples não é? E é! Pergunta-se agora “Então e nunca come nada menos saudável?”. A resposta também é simples. Sim, mas apenas em momentos especiais e em doses muito pequenas. Vou-lhe contar uma situação recente: o meu marido fez anos, por isso fizemos um almoço cá em casa. Como todos os familiares sabem que eu não faço doces, cada um trouxe o seu. Resultado: Mesa cheia de doçaria no final da refeição. O que fiz: comi 1 fatia de ananás fresco e 1 fatia de bolo de aniversário. Se me custou, se foi difícil não comer? Não. Por dois motivos: Porque quero recuperar a boa forma e porque tudo o que como, o meu bebé come também através do leite. São razões mais do que suficientes para me fazer sentir bem relativamente às minhas escolhas alimentares. Portanto, só tem de achar “as suas razões” e lutar por elas. Não pense em “começar amanhã”, esse amanhã nunca chega.

Pois bem, com uma alimentação equilibrada, mas sem treino, o peso desceu lentamente, como expliquei no 1º artigo. Sabia que a grande diferença viria com a “alta” para treinar. E assim foi. Quando (finalmente) a minha médica me disse que podia “fazer a vida normal e iniciar os treinos”, literalmente os meus olhos brilharam. Além do bem-estar, do relaxamento, da sensação de “missão cumprida”, os treinos fizeram toda a diferença no peso: em apenas 8 dias -1kg de gordura! Não há nada mais motivador. Mas treinar, significa máxima dedicação: 3 dias de corrida e 3 dias de exercícios localizados com o peso do corpo. Só assim é possível fazer-se a diferença. Dê o seu máximo e verá o seu corpo mudar rapidamente.

É claro que nem tudo “são rosas”: muitas dores musculares, muitos pensamentos de auto-boicote como “Hoje não! Está frio! Tenho dores! Está de chuva! Estou cansada! Dormi mal! É tarde! Tenho outra coisa para fazer! …”, mas a determinação tem de imperar e assim tem sido.

Uma questão importante: em nada o início dos treinos alterou o apetite ou a amamentação. Por vezes, as pessoas receiam começar o treino, pois “o leite pode secar”. Nada disso! Se se alimentar bem e beber água, o seu leite será o melhor do mundo para o seu bebé.

E agora com as festas?

Comportamento igual: fazer escolhas ponderadas, comer “1fatia apenas” e treinar. Não há receita mais simples.

No próximo mês falaremos melhor sobre o que é um “plano alimentar saudável” e quais os meus treinos de recuperação. Até lá, fica uma fotografia antes/depois.

Acredite, é possível. Basta a mente querer! Sem dietas. Boas festas!