5 produtos das “dietas” não tão saudáveis

Como vai caro leitor?

Vivemos rodeados de alimentos, ou melhor dizendo, de produtos alimentares. Na verdade não os podemos chamar de alimentos, já que são autênticos resultados da engenharia alimentar, combinando alimentos com aditivos alimentares (E’s).

Definições:

Alimento – são aqueles tal como os encontramos na natureza: sem conservantes, sem aditivos ou sem nenhum produto que os modifiquem ou interfiram na sua validade. Como exemplo: carnes, peixes, grãos, sementes, frutas ou verduras. São “os que vêm da terra ou que têm mãe”.

Género/produto alimentício – toda a substância, seja ou não tratada, destinada à alimentação humana, englobando as bebidas e os produtos do tipo das pastilhas elásticas, com todos os ingredientes utilizados no seu fabrico, preparação e tratamento; 

 

Há basicamente três tipos de produtos alimentícios:

– Os que são minimamente processados: são alimentos que passaram por um processo de moagem, limpeza,desidratação ou pasteurização. Isso modifica a sua forma, mas não modifica a composição original, que permanece a mesma, tal como na natureza. São exemplos os cereais e grãos (que são limpos), as farinhas (que são moídas), ou o leite (que é pasteurizado) e as frutas secas (que são desidratadas).

– Os processados: são aqueles que recebem um aditivo para durarem mais ou para se tornarem mais saborosos. Os aditivos mais utilizados para este fim são o sal e o açúcar. Exemplo: os produtos em conserva como atum, milho, cenoura, ervilha, azeitona… e tantos outros emersos numa solução salgada para durarem mais tempo. Temos também as latas ou frascos de frutas em calda, que seguem a mesma lógica, mas o conservante é o açúcar.

– Os ultra processados: em geral são “fórmulas” produzidas pela indústria. Autênticos produtos de engenharia, que passam por testes organoléticos rigorosos (testes realizados com o intuito de avaliar as condições sensoriais do alimento, num processo de avaliação criterioso das suas características de paladar, odor, cor e textura). São formulados com muitos aditivos, para aumentar a durabilidade e atrair o consumidor através do gosto, textura, cheiro e aparência. São exemplos a comida instantânea, salsichas, pizzas, hambúrgueres, batatas fritas, doces, chocolates, refrigerantes, biscoitos, bolachas recheadas, salgadinhos, gelados… 


 

Estes são os óbvios, mas existem alguns produtos no mercado, altamente processados, com “rótulo” de saudáveis. Vamos descobrir quais são?

Antes de mais, sugerimos o complemento deste artigo com a leitura de outros sobre o tema:


1. Pão “fatiado”

Não vamos especificar uma marca até porque há imensas. Vamos sim divulgar a lista de ingredientes de alguns pães ditos

“saudáveis”:

  • Pão de Forma Integral s/ côdea “silhueta” – farinha integral de trigo, água, levedura, farinha de trigo, açúcar, óleo vegetal (girassol), gluten de trigo, sal, emulsionantes(E-471, E-472e, E-481), vinagre de vinho, conservantes (E-282, E-200), farinha de cevada maltada, corretor de acidez (E-341), amido de milho, agente de tratamento de farinha (E-300).
  • Pão Rústico Sem Glúten  – Mistura de ingredientes (amido de trigo (sem gluten), amido de batata, farinha de arroz, dextrose, fibra de psilio, farinha de arroz fermentada e desidratada, sal, estabilizadores (E412, E415, E466, E464), regulador de acidez (E263), enzimas); agua; levedura; oleo de girassol; conservantes (E282, E200); aroma
  • Pão De Forma 0% Açucares – farinha de TRIGO tipo 150, agua, levedura, humidificante (E 420(ii)), óleo vegetal (girassol), Gluten de Trigo, sal, emulsionantes (E 471, E 472e, E 481), conservantes (E 282, E 200), estabilizador (E 412)
  • Pão Integral 8 Cereais – farinha integral de trigo, agua, levedura, farinha de trigo, glúten de trigo, açúcar, óleo vegetal (girassol), farinha de centeio (1.2%), flocos de aveia (1%), sementes de linhaça, farinha de cevada maltada (1%), sal, farinha integral de triticale (0.5%), centeio cortado (0.4%), sementes de girassol, sementes de sesamo, painço (0.05%), sémola de arroz (0.05%), sémola de trigo sarraceno (0.05%), emulsionantes (e-481, e-472e), conservantes (e-282, e-200, e-202), vinagre de vinho, corretor de acidez (e-341), agente de tratamento da farinha (e-300).
  • Pão Estilo Artesanal – farinha de trigo, agua, levedura, açúcar, óleo vegetal (girassol), sal, emulsionantes (e-471, e-481), conservantes (e-282, e-200), vinagre de vinho, farinha de centeio maltada, agente de tratamento da farinha (e-300). pode conter vestígios de sementes de sésamo e/ou soja.

Para além da grande quantidade de E’s (conservantes, emulsionantes, estabilizantes, melhorantes, agente de tratamento…) parece comum este tipo de pão conter óleo vegetal de girassol e açúcar. Portanto, não é por ter sementes ou farinhas mais integrais que passsa a ser saudável, elas apenas lhe “dão o nome”. Escolha um pão com uma lista de ingredientes curta, que não inclua açúcar nem gordura, mas também o mínimo de E’s possível. Um exemplo:

  • Pão De Centeio – Centeio, Agua, germen de trigo, sal iodado, farelo de trigo, reguladores de Acidez (acido láctico, diacetato de sódio), Conservantes (ácido sórbico e propionato de cálcio).
  • Pão Biológico Espelta/Centeio Integral – Água filtrada, farinha de espelta integral moída em mos de pedra (43%)*, farinha de centeio integral moída em mos de pedra (8%)*, malte de cevada*, sal marinho. *de agricultura biológica.
  • Pão de Alfarroba: Farinha de Espelta integral, água, farinha de alfarroba, flocos de aveia, levedura, sal e azeite.

Artigo recomendado: Pão: amigo ou inimigo?


 

2. Granola

A granola é provavelmente um dos maiores enganos que surgiu ultimamente. Criou-se um rótulo de “saudável”, quando na

verdade não o é. Quando caseiras, podemos gerir a quantidade de açúcar e gordura adicionados aos cereais, mas mesmo assim não deixam de existir. O ideal seria optar por um muesli simples, espcialmente se está em emagrecimento.

Artigo recomendado: 15. Receita da Semana – Muesli e Granola

Eis a lista de ingredientes de algumas granolas no mercado:

  • Granola simples – flocos de trigo integral, flocos de aveia integral, passas, sementes de sesamo, sementes de girassol, arroz tufado (farinha de arroz, açúcar, extracto de malte de cevada, sal) e amêndoa. Valor Energético/100g – 418 kcal; Hidratos de carbono 65,0 g (dos quais açúcares 22,0 g); Lípidos 10,0 g (dos quais: saturados 0,1 g).
  • Granola Fruta E Canela – Flocos de aveia integrais (42%), Mistura de frutos desidratados (passas, chips de banana (banana, oleo de coco, açúcar), chips de coco (coco, açúcar), pedaços de maca, pedaços de alperce, pedaços de ananás acucarado (açúcar, ananás, acidificante: acido cítrico)) (23%), Açúcar, óleo de palma, Farinha de trigo, Coco desidratado ralado, Cereais extrudidos (farinha de TRIGO, farinha de arroz, açúcar, dextrose, oleo de palma, farinha de malte de TRIGO, farinha de malte de CEVADA, sal), Xarope de glucose-frutose, Sal, Vitaminas (niacina, vitamina E, acido pantotenico, vitamina B6, vitamina B2, vitamina B1, acido folico, vitamina B12), Xarope de caramelo, Aroma natural, Difosfato ferrico, Canela (0,1%) / Energia/100g: 447.00 kcal; Hidratos de carbono: 61.00 g, Dos quais açúcares: 26.00 g; Lípidos: 17.00 g.
  • Granola de aveia e mel – AVEIA integral (66,1%) [flocos de AVEIA integral (65%), farinha de AVEIA integral (1,1%)], xarope de glucose (acucar, xarope de acucar invertido, melaco), flocos de TRIGO malteado torrados [TRIGO (6,3%), extrato de malte de CEVADA, emulsionante (lecitina de girassol), oleo de girassol, crocantes de arroz (semola de arroz, farinha de TRIGO, açúcar, CEVADA malteada, sal), mel (2,0%), coco, aromas naturais, sal, levedante quimico (bicarbonato de sodio), antioxidante (tocoferois). Minerais: Calcio. /  Energia/100g: / 410.00 kcal; Lípidos: 9.60 g; Hidratos de carbono: 68.70 g, Dos quais açúcares: 22.90 g.
  • Granola de aveia e chocolate – Flocos de AVEIA integral (45,9%), chocolate em po (16,6%) (açúcar, cacau em po), farinhas de cereiais 11,2% [ TRIGO integral (7,8%), TRIGO (3,4%)], crocantes de arroz [farinha de arroz, farinha de TRIGO, açúcar, malte de TRIGO, emulsionante (lecitina de girassol)], oleo de girassol, extrato de malte de CEVADA, acucar, xarope de acucar invertido, xarope de glucose, LEITE em po magro, oleo de palma, sal, melaço, aromas, emulsionante (lecitina de girassol), canela, antioxidantes (tocoferois). Minerais: Calcio. Energia/100g:  431.00 kcal; Hidratos de carbono: 64.40 g, Dos quais açúcares: 19.40 g; Lípidos: 14.10g

Neste caso, a quantidade de açúcares e seus sinónimos (mel, melaço, xaropes…), bem como de gordura (óleo de girssol e palma) é impressionante. Aliás, comparando com uma tradicional marca de cereais de pequeno-almoço de chocolate:

  • Ingredientes: Cereais (61,9%) [farinha de TRIGO integral (31,8%), farinha de TRIGO (15,8%), semola de milho (14,3%)], chocolate em po (22,2%) (acucar, cacau), acucar, xarope de glucose, extrato de malte de CEVADA, oleo de palma, emulsionante (lecitina de girassol), sal, aromas (vanilina e canela). Vitaminas e Minerais. Energia/100g: 389 kcal; lípidos: 4,5 g;  hidratos de carbono: 75,8 g, dos quais açúcares: 28,8 g;

Parece que não muda muito… aliás o valor energético das granolas é mais elevado por conterem mais gordura e ligeiramente menos açúcar (mas ainda assim bastante)! Portanto há pouca ou nenhuma vantagem em comprar uma granola no supermercado, quer em termos de qualidade nutricional, quer em preço. Faça a sua própria mistura ou opte por um muesli sem açúcar.


 

3. Gelatinas

Será que as gelatinas são assim tão saudáveis? Muitas vezes, em festas, faz-se desta uma opção aos tradicionais doces. Realmente, são “menos más”. Mas serão saudáveis? Muito questionável. Vejamos:

  1. Gelatina vegetal comum (pó): açúcar, gelificantes (carragenina, farinha de sementes de alfarroba), acidificante (acido cítrico), regulador de acidez (citratos de sódio), maltodextrina, sumo de beterraba, extrato de cartamo, aromas, sal. / Preparado 100ml: Energia: 69.00 kcal; açucares: 16.00 g; lípidos: <0.50 g; Fibras: <0.50 g; Proteinas: <0.50 g
  2. Gelatina sem açúcar (pó): Gelatina (67%), maltodextrina, fibra, reguladores de acidez (acido fumarico, citrato trissodico e acido citrico), aroma, antioxidante (acido ascorbico), edulcorantes (aspartame e acessulfame k) e corante (E 100).  Preparado 100ml: Energia 11 kcal; lipidos: 0 g; hidratos de carbono: <0,5 g, dos quais acucares: 0 g; fibra: <0,5 g; proteinas: 2,1 g.
  3. Gelatina vegetal sem açúcar (pó): Maltodextrina, gelificante (agar-agar) (20%), acidificante (acido citrico), corantes naturais (betacaroteno e curcumina), aroma, regulador de acidez (citrato trissodico), edulcorante (sucralose) e vitamina C.
  4. Gelatina (preparada) de origem vegetal: Agua, acucar, frutose, extrato de algas, regulador de acidez: E330, aroma, corantes: E133 e E102 – este corante pode causar efeitos negativos na atividade e na atencao das criancas, apenas 0,001%. Informação nutricional/100 g: energia: 80 kcal; açúcares 20 g; sal: 0,22 g;

No caso da gelatina 1) estamos literalmente a comer água gelificada com açúcar. No caso da 2) substituiram o açúcar por adoçantes, cujo impacto na saúde é bastante questionável (aspartame e acessulfame k). A opção 3) parece a mais saudável, pois para além da escolha de ingredientes naturais, o adoçante usado é menos nocivo (sucralose). Já a opção 4), que designa uma gelatina preparada, sem necessidade de frigorifico é a pior opção. Veja a quantidade de açúcar, numa porção de 130g (1copinho), tem o equivalente a 26g de açúcar, quase 4 pacotes para café! É uma autêntica conserva de açúcar, nem precisa de frio… Vai servir isto às suas crianças?


 

3. Fiambre de aves

Em quantas dietas já lhe aconselharam fiambre de aves? Até para comer como snack fora das refeições. Será saudável? Vamos ver:

  • Fiambre de perú – Carne de peru (52 %), agua, amido, sal, dextrose, lactose, emulsionantes (E451, E450), gelificantes (E407, E415), aromas, intensificador de sabor (E621), cloreto de potassio, antioxidante (E316), aroma de fumo, conservante (E250). Valores nutricionais medios por 100 g: energia 96 kcal; lípidos: 1 g;  hidratos de carbono: 8 g, dos quais acucares: 2,4 g; proteinas: 14 g; sal: 2 g.
  • Fiambre de perú fumado – Peito de peru (90%), agua, sal, proteina de soja, açúcar, aromas, aroma de fumo,estabilizantes: E-451, E-407, conservante: E-250.
  • Fiambre de peito de frango – Peito de frango (62,5%), agua, sal, proteina de soja, xarope de glucose de milho, açúcar e aromas. Estabilizantes: E-451, E-420 e E-407. Conservante: E-250. Antioxidante: E-316 e E-331.
  • Fiambre de Peito de frango Assado – Peito de frango (90%), agua, sal, proteina de soja, açúcar, aromas, aroma de fumo, estabilizantes: E-451 e E-407, conservante: E-250.

Primeira impressão: reparou que a única diferença entre as versões “comuns” e as “fumado/assado” são a adição de “aroma de fumo” e mais uns E’s? E assim se paga mais uns cêntimos…

Vamos agora comparar com as versões de porco:

  • Fiambre Perna Extra Fatiado Cuida-Te – Carne de perna de suíno, agua, antioxidantes (lactato de potassio, eritorbato de sodio), dextrose, estabilizadores (trifosfatos, carragenina), sal, açúcar, cloreto de potassio, aroma, conservante (nitrito de sodio). Valores nutricionais medios por 100 g: 90 kcal; lipidos: 1,9 g; hidratos de carbono: 1,2 g, dos quais açúcares: 1,2 g; proteinas: 17 g; sal: 1,25 g.
  • Fiambre da pá – Carne de suino (pa de porco), agua, sal, proteinas do LEITE, gelificantes (algas Eucheuma transformadas, carragenina e goma de alfarroba), cloreto de potassio, dextrose, aromas, emulsionante (tripolifosfato de sodio), fibra vegetal, antioxidantes (citrato trissodico e ascorbato de sodio), intensificador de sabor (glutamato monossodico), maltodextrina e conservante (nitrito de sodio). Valores nutricionais medios por 100 g: Energia: 95 kcal; lipidos: 3,0 g;; hidratos de carbono: 1,0 g, dos quais acucares: 1,0 g; proteinas: 16 g; sal: 2,1 g

Comparando: SÃO IGUAIS! A única diferença é que trocam a carne de porco por carne de aves. Todos os restantes ingredientes são iguais, quer os diversos açúcares (açúcar, dextrose), quer os aditivos alimentares, dos quais se destacam os nitritos (E250), considerados atualmente “potencialmente cancerígenos para humanos“. Se é de porco ou de frango… pouca diferença faz relativamente a todos os outros (péssimos) ingredientes. Não coma nenhum, ou faça-o o menos possível.

Artigo recomendado: Guarnições (diferentes) para pão


 

4. Bebidas de cola “light/zero”

E esta? Em quantas dietas já lhe aconselharam? “Tem fome beba uma cola zero”! Mas será que sabe exatamente o que está a beber? Um cocktail de E’s. Vamos saber:

  • Bebida de cola comum – Água, açúcar, dióxido de carbono, corante caramelo E150d, acidificante E338 e aromasnaturais (incluindo cafeina). Informação nutricional/100ml: energia: 105 kcal; açúcares: 27 g.
  • Bebida de cola Zero – Água, dióxido de carbono, corante caramelo E150d, edulcorantes E952, E950 e aspartame, acidificante E338, aromas naturais (incluindo cafeina) e regulador de acidez E331. Informação nutricional/ 100ml: energia: 1 kcal; sal: 0,05 g.
  • Bebida de cola Light – Água, dióxido de carbono, corante caramelo E150d, edulcorantes E952, E950 e aspartame, acidificantes E338 e E330 e aromas naturais (incluindo cafeina). Informação nutricional/ 100ml: 1 kcal; sal: 0,07 g.

Assim sendo, a diferença entre a bebida comum das zero/light é a troca do açúcar pelos adoçantes: ciclamato, acessulfame k e aspartame. Todos eles muito questionados atualmente pelo seu impacto na saúde, principalmente das crianças. A única difrença entre a versão zero e a light, é que a zero tem mais dois E’s.

Mais! As bebidas de cola, sejam dietéticas ou não, têm como característica a sua elevada acidez (pH 2,5) conferida pelo E338 – ácido fosfórico. Experimente deixar uma moeda “preta” de um dia para o outro dentro de um copo de cola, verá que no dia seguinte está bem clarinha! E porquê? Porque o ácido é tão forte que desoxida os metais! Mas não só, ele faz o mesmo no nosso corpo, estimulando destruição do esmalte dos dentes e a perda de cálcio através da urina. Numa fase em que se fala tanto da “dieta do pH” e da importância de tornar a alimentação mais alcalina e menos ácida, com certeza tem de ter isto em conta!

Artigo recomendado: Vegetarianismo & pH

O que beber em vez? Beba uma água gaseificada, com rodelas de limão e hortelã-menta, o mesmo efeito saciante e saúde garantida!


 

5. Iogurtes magros

Agora começa a perguntar, mas estes também? Afinal o que se pode comer? 😉

Que dieta não inclui o famoso “iogurte líquido magro”? Sendo líquido até se digere mais rápido, porém não é por isso que entra nesta lista. A maioria dos iogurtes magros contêm demasiados aditivos E’s. Vejamos:

  • Iogurte sólido, magro de aroma – Leite pasteurizado desnatado, leitelho, leite em pó desnatado, fermentos lacteos, aroma e edulcorante: aspartame e acessulfame K
  • Iogurte sólido, magro de polpa –  leite pasteurizado desnatado, leitelho, polpa de morango: 4,5%, leite em po magro, proteinas lacteas, fibra (inulina): 1,1%, estabilizador: pectina, fermentos lácteos, aromas, edulcorantes: aspartame e acessulfame k, conservante: E202 e corante: carminas.
  • Iogurte líquido magro Marca 1- Leite pasteurizado desnatado, fibras (oligofrutose, inulina), polpa de frutos tropicais (1,5%) (manga, ananas e banana), amido de milho, aroma, edulcorante (aspartame), espessante (pectina amidada), fermentos laticos, conservante de fruta (sorbato de potassio), regulador de acidez (acido citrico), corante (beta-caroteno).
  • Iogurte líquido magro Marca 2- Leite pasteurizado parcialmente desnatado, soro desproteinizado reconstituido, polpas de manga (1%) e maracujá (0,8% ), polpa de bagas goji (0,3%), aromas naturais, edulcorantes (sucralose e acessulfame K), concentrado de cenoura e abóbora, conservante da fruta (E 202) e fermentos laticos ativos.

Também aqui encontramos os comuns adoçantes – acessulfame k, aspartame, mais alguns conservantes, espessantes, corantes e reguladores de acidez (e aromas, no caso dos iogurtes aromatizados). É importante saber que um iogurte, hoje em dia, é muito mais do que leite com fermentos lácteos..

Então qual a solução? Não será com certeza optar por iogurtes comuns, com açúcar em vez de adoçante. Procure sempre iogurtes naturais, sem adição de açúcar. Se os achar demasiado amargos, adicione fruta fresca ou desidratada, canela, côco ralado, frutos secos, ou até um pouco de mel. Estes são bons exemplos:

  • Iogurte magro natural 500g: leite de vaca pasteurizado e fermentado com culturas L.acidophilus e B.bifidum.* de leite desnatado com 0,1% de gordura. (*=de agricultura biologica controlada)
  • Iogurte magro natural de cabra 500g: Leite magro pasteurizado de cabra* e fermentos lacticos.

Isto sim é um iogurte!

SUGESTÃO: Em alternativa ao iogurte, experimente o Kefir: em vez de usar bactérias para fermentar o leite, usa uma levedura. Esta destrói a lactose  e confere propriedades benéficas para a flora intestinal, que reforçam o sistema imunitário!
Em conclusão…
Procure produtos com o menor número de E’s! Raramente são saudáveis ou, pelo menos, inócuos. Estes têm efeitos nefastos a nível da saúde do fígado, do próprio tubo digestivo e do metabolismo celular no geral. Mesmo para emagrecer é necessário “dar o mínimo de trabalho possível” ao seu fígado. Por menos calorias que tenha um alimento, se tiver tantos aditivos, vai ser difícil de processar e assim “intoxicar” o seu corpo!

Leia a lista de ingredientes e não se deixe “levar” pelas designações que estão na capa.